Saúde

Cães precisam de cuidados especiais no Verão

Veterinária alerta para problemas como insolação, vômitos, prostação, queimaduras nas patas e necessidade de tosa e banho

Durante o Verão, muitas pessoas optam por realizar atividades ao ar livre e aproveitar os dias ensolarados e quentes. As opções são diversas: desde um passeio no parque, uma caminhada pelas ruas ou até mesmo uma ida a praia ou campo. E claro, que a presença do melhor amigo do homem torna o momento mais especial e alegre. O que poucos sabem é que os animais, especificamente os cães, não transpiram e por isso precisam de atenção redobrada para amenizar os incômodos causados pelo calor excessivo. Além da boca aberta e da respiração ofegante, outras atitudes devem ser observadas.

 

Algumas raças são mais sensíveis às altas temperaturas e os animais podem apresentar insolação, vômito e prostração. Assim como os humanos devem optar por roupas confortáveis, ingerir muita água e se alimentar de comidas mais leves, os cães também precisam de uma oferta maior de água, preferencialmente gelada. Já a alimentação deve ser mantida, porém é comum que eles se alimentem em menor quantidade.

De acordo com a veterinária Natália Gouvêa, da Clínica Soft Dogs e Cats, uma forma de refrescar os cães e que é bem aceita é congelar pedaços de frutas ou sucos naturais é oferecer nos horários de maior calor. “Além de se refrescarem, os pets ingerem nutrientes importantes e ainda brincam com a novidade”, revela a doutora.

Outra dúvida que ronda os donos de animais é a necessidade da tosa. “Essa medida é algo muito particular, que deve ser avaliada juntamente com o veterinário ou profissional responsável. Cada raça possui um tipo de pelagem e suas especificidades que devem ser respeitadas. Uma tosa errada pode causar alopecia (perda de pelos) e outros danos. Além disso, é importante ressaltar, que o pelo dos cães funciona como um isolante térmico e ajuda a manter uma temperatura corporal adequada. Uma forma de refrescá-los é manter o intervalo de banhos entre 7 a 15 dias”, destaca Natália.

Queimaduras

Em função do calor excessivo e da umidade, o que mais preocupa os veterinários, são as queimaduras nos cochins, conhecidos popularmente como almofadinhas das patas. A região é sensível é pode queimar no asfalto durante um simples passeio. “Para evitar o problema, é recomendável adaptar a rotina. Os melhores horários para uma caminhada são entre às 6 e 9 horas e após às 19 horas. Outra dica, é testar com as mãos a temperatura do solo. Se estiver suportável para sua mão, estará seguro para o cachorro. Em casos específicos, pode-se usar um sapato apropriado para pets”, alerta a veterinária.

Cães Braquicéfalos

Apesar do nome difícil, se enquadram nessa categoria cachorros das raças Bulldog Inglês e Francês, Boston Terrier, Pug, Boxer, Shitzu e Lhasa Apso, entre outros e a principal característica é o focinho curto e achatado. Devido à anatomia, esses cães sofrem ainda mais com o calor. “Eles têm maior dificuldade para respirar e para diminuir a temperatura do corpo, o que pode levar a hipertermia. O ideal é evitar passeios, exposição ao sol e banhos fora de casa. Para amenizar a sensação, pode-se oferecer colchões gelados ou até jogar água nas costas”, finaliza Natália Gouvêa.

Sobre a Soft Dogs e Cats

A Clínica Soft Dogs e Cats está localizada no bairro de Moema há 23 anos e é administrada por José Francisco Costa Neto, veterinário e especialista em homeopatia e Natália Gouvêa, veterinária e especialista em fisioterapia e nutrição animal. A clínica conta com diversos serviços, como banho e tosa, pet shop, centro veterinário, day care, fisioterapia e reabilitação, hotel, natação, exames laboratoriais e de imagem. Entre as especialidades, a clínica possui dermatologia, oftalmologia, fisioterapia, nutrição e acupuntura e ainda oferece um amplo espaço para atividades, como recreação, aula de natação e hotel para cães e gatos.

Tags : Animalcachorrosgatospets
Bruna Munhoz

The author Bruna Munhoz

Leave a Response