Pet

Pet

Petz chega ao Espírito Santo e inaugura primeira megaloja na capital

petz-case4
Petz chega ao Espírito Santo e inaugura primeira megaloja na capital
Unidade com mais de 20 mil produtos nacionais e importados
concretiza plano de expansão da Rede em toda região Sudeste do país
A Petz inaugurou sua primeira megaloja em Vitória, expandindo a atuação da rede de pet shop na região sudeste do país.
Com um investimento de R$ 5 milhões e 1.297 metros quadrados de área construída, a nova unidade fica na Avenida Nossa Senhora da Penha, 1819, uma das principais da capital capixaba, e oferece, além de acessórios, alimentação, farmácia, serviços de banho e tosa, Petz Play (disponível em breve) e atendimento médico veterinário.
São mais de 20 mil produtos nacionais e importados divididos em espaços para Cães e Gatos, mundos Safári e Aquarismo, além de área Garden.

“Temos uma grande expectativa com a instalação de nossa primeira loja na capital Vitória. A ideia é ampliar em breve nossa presença no Espírito Santo para ser referência como rede de pet shop também aqui no estado”, afirma o coordenador de marketing da Petz, André Marinho.

A primeira unidade da Petz em Vitória dispõe também de área de estética para banho e tosa e o Centro Veterinário Seres, marca Petz.
O Seres foi planejado para garantir melhor qualidade de vida aos pets e bem estar de suas famílias com equipamentos de Raio-x, Ultrasom e Ecocardiograma de última geração e serviços avançados de diagnósticos, cirurgias, tratamentos e atendimento de emergência. O Centro Veterinário conta com equipe de especialistas em medicina de felinos, medicina de silvestres, cardiologia, endocrinologia, dermatologia, ortopedia, oncologia e oftalmologia.
O Seres trabalha ainda a prevenção com check-ups, vacinas, orientações nutricionais e castração.

Espaço adoção- Projeto Adote Petz

A loja de Vitória conta com espaço permanente para adoção de cães e gatos de Ongs protetoras parceiras do Projeto Adote Petz.
Enquanto permanecem no espaço à espera de uma família, os animais recebem alimentação, cuidados veterinários, acessórios para brincar e muito carinho. Todos são vacinados e vermifugados.

Desde o início do programa Adote Petz, em 2007, mais de 38 mil cães e gatos conseguiram um lar. O programa foi ampliado este ano com a adaptação de espaços permanentes de adoção como o de Vitória, na maioria das lojas da rede.
Para adotar um pet é preciso ter mais de 18 anos e apresentar comprovante de residência. Os interessados passam por rigorosa entrevista com as equipes das ONGs protetoras responsáveis pelos animais.

Mercado pet

A loja é a 89ª unidade da rede de pet shop no país, que prevê fechar o ano com faturamento de R$ 1,2 bi e 116 unidades em funcionamento. Com a chegada em Vitória, agora a Petz está presente em toda região Sudeste do país, com 01 loja no Espírito Santo, 05 em Minas Gerais, 06 lojas no Rio de Janeiro e 64 em São Paulo.

O fenômeno da humanização dos bichos de estimação tem alavancado o consumo de produtos e serviços de qualidade, beneficiando o mercado pet.
O setor movimentou em 2018 mais de R$ 20 bilhões, 9,8% a mais que em 2017, segundo projeção da Euromonitor International.

Serviço:

Endereço: Avenida Nossa Senhora da Penha, 1819, Santa Lúcia – Vitória/ES
Telefone: (27) 3029-6431
Horário de funcionamento da loja: todos os dias, das 08:00 às 00:00
Horário de funcionamento Centro Veterinário Seres: todos os dias, das 09:00 às 21h00
Estacionamento: 58 vagas (gratuito)

Sobre a Petz

A rede de pet shop é a maior do Brasil em número de lojas, somando 89 no País – em São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal. Os espaços contam com profissionais especializados nos serviços de banho e tosa e medicina veterinária. No final de 2018, a rede intensificou sua atuação em saúde com o lançamento do centro veterinário Seres, que alia conhecimento científico a equipamentos de última geração. Soma-se a esta estrutura a unidade Petz Garden, com plantas, flores e material para jardinagem e piscina.

Leia mais
Pet

Cinco cuidados com o cachorro no inverno

Dog-with-a-blanket-on

Aplicativo DogHero apresenta dicas simples e práticas para manter o cãozinho seguro e aquecido durante a temporada mais fria do ano

O inverno está chegando e, assim como a gente, é preciso ter cuidados com os cachorros neste período porque eles podem sentir muito frio e até mesmo adoecer. Para ajudar você a cuidar do seu filhote peludo, a Dog Hero, aplicativo que conecta pais de cães a passeadores e anfitriões que hospedam o cachorro em casa, separou algumas dicas para preparar a casa e manter o cãozinho seguro e aquecido durante a temporada. Confira abaixo quais são elas:

Diminua a frequência dos banhos do cachorro no inverno

Cachorro cheiroso e limpinho é tudo de bom e, mesmo no inverno, é importante manter a higiene deles. Mas em épocas mais frias, os banhos podem colaborar para que o cãozinho fique doente devido à baixa temperatura e demora para secar no período. Entre os cuidados com o cachorro no inverno, procure ter em mente a data do último banho do seu filhote para saber quando é imprescindível dar o próximo.

Deixe o cachorro dormir em um local quente e confortável

Um dos cuidados com o cachorro no inverno é oferecer uma cama confortável e quente nos dias frios. Incremente a cama ou casinha do seu cãozinho com almofadas e cobertas para que ele se mantenha aquecido durante as sonecas. Faça isso também caso ele seja acostumado a dormir no sofá ou na cama. No inverno, não deixe o cachorro dormir na área externa da sua casa, seja ela uma varanda ou um quintal, mesmo que seja coberto. Durante a noite as temperaturas caem mais ainda e é necessário manter os cachorros protegidos da friagem.

Evite passeios em temperaturas muito baixas

Alguns cães estão acostumados a passear diariamente, às vezes mais de uma vez por dia. Mas os cuidados com o cachorro no inverno envolvem evitar passeios sob temperaturas muito baixas, enquanto estiver ventando, chovendo ou garoando. Tente entretê-los dentro de casa para gastarem energia e não precisarem passear. Caso o cachorro só faça necessidades na rua, incentive-o a fazê-las na área externa da sua casa (caso você tenha), em jornais ou tapetes higiênicos. Se ele não conseguir mudar esse hábito, faça passeios curtos apenas para as necessidades, evitando que ele seja submetido ao clima frio por muito tempo. Se estiver garoando durante o “mini passeio”, seque-o com uma toalha e tente aquecê-lo com cobertinhas assim que voltarem.

Invista nas roupinhas

Roupas são uma ajuda importante para manter o cãozinho aquecido neste período. Na hora de escolher a peça, certifique-se de que ela está no tamanho correto para evitar desconforto e até assaduras. Você pode optar por moletons de tecidos quentinhos e escolher aquele que melhor combina com o estilo do cachorro. Para cães que sentem menos frio, você pode usar camisetas ou roupas mais leves. Além disso, cheque com certa regularidade se a peça não está incomodando, dando alergia ou machucando a pele. Se possível, tenha mais de uma e vá revezando toda semana para que você possa lavá-la ao menos uma vez por semana.

Focinho quente, sinal de alerta

Se você perceber que o cachorro está com o focinho quente e seco, fique atento: ele provavelmente está com febre. A febre pode ser causada por diversos motivos, mas durante o inverno é comum alguns cães apresentarem esse sinal por terem contraído gripe canina, que pode ser prevenida com vacinação. Os sintomas mais comuns, além da febre, são espirros, tosse persistente e, até mesmo, coriza. Por isso, é importante ter cuidados com o cachorro no inverno. Além de levar o cãozinho ao veterinário para um diagnóstico exato, você deve isolá-lo dos demais cães para evitar um possível contágio.Os cuidados com o cachorro no inverno evitam doenças e desconfortos e preservam a qualidade de vida do seu filho de quatro patas.

Sobre a DogHero

Disponível para Android, iOS e web, a DogHero é a maior empresa de serviços para cães da América Latina. Pela sua plataforma, conecta pais de cachorro a passeadores e anfitriões que hospedam cães em casa. Atualmente, o aplicativo conta com mais de 18 mil anfitriões e passeadores em 750 cidades no Brasil, Argentina e México que passam por um extenso e rigoroso cadastro e recebem orientação adequada. Em 2018, a startup foi listada no ranking das “100 startups to watch”, resultado de uma parceria entre as revistas PEGN e Época Negócios e a Corp.vc. A DogHero foi fundada em 2014 por Eduardo Baer e Fernando Gadotti.

 

Leia mais
Pet

Os pets vão viajar também?

animal-de-estimacao-na-mala
 
Médicos do Centro Veterinário Seres do Grupo Petz orientam como garantir o bem estar dos bichinhos que vão pegar a estrada
Focinho na janela e pelos ao vento! Férias!
Devagar com o andor. Não comece as férias com o pet desse jeito. Parece fofo, mas é sobretudo perigoso.
Quando ficam com a carinha na janela do carro, os pets podem se assustar e, em algum momento, pular. E o vento forte até produz um certo charme, mas compromete a saúde do bichinho.

“Ao tomar fortes correntes de ar, o pet pode contrair inflamação no conduto auditivo e úlceras de córnea. É possível baixar um pouco os vidros ou ligar o ar-condicionado para que ele não sofra tanto com o calor, mas expô-lo ao vento forte, definitivamente, não é recomendável”, adverte a Gerente Técnica de Clínicas da Petz, a veterinária Karina Mussolino.

Prevenção

Durante o percurso da viagem, os animais, como os humanos, podem sentir enjoo. Não é indicado alimentar o bicho poucas horas antes do deslocamento nem durante o percurso.
“O movimento e os solavancos do carro repercutem nos canais internos da área responsável pelo equilíbrio dos animais, causando esse tipo de sintoma. Existem produtos, como os palitos, que garantem mais tranquilidade durante a viagem, mas sempre é importante procurar o veterinário e pedir algo para atenuar o sintoma. Vale lembrar que toda e qualquer medicação ministrada aos pets deve ter a orientação de um médico veterinário” alerta Mussolino.

Vão à praia?

“Ambiente litorâneo exige atenção especial com alguns tipos de parasitas como a leishmaniose, leptospirose e dirofilariose, conhecida como verme do coração. Coleiras repelentes ajudam a proteger o pet de picadas de mosquitos transmissores de doenças. É imprescindível garantir que o animal esteja com a vacinação em dia e vermifugado. Recomendo sempre um check-up básico antes de qualquer viagem”, orienta o médico do Centro Veterinário Seres do Grupo Petz, Ítalo de Oliveira.

É preciso ficar atento também à temperatura do solo. O piso quente pode queimar as patas e causar ferimentos graves.
O clima quente e seco é bastante nocivo para os cachorros de focinhos curtos e achatados, os cães braquicefálicos.
“Nesses pacientes a troca de calor é prejudicada e eles podem sofrer hipertermia e, consequentemente, sérios problemas de saúde. Mantenha água limpa e fresca à disposição do pet”, recomenda Ítalo.
A água deve ser de boa procedência, filtrada e, de preferência, gelada.

Gatos

Os gatos são mais sensíveis ao estresse quando saem do habitat de costume. Para evitar que a ideia do descanso e diversão se torne um problema, converse com um veterinário antes de colocar os pés e patas na estrada.

“Não é difícil em uma rotina clínica nos depararmos com um paciente obstruído ou com cistite desencadeada por um quadro de estresse. Problema que pode ser grave, exigindo internação e até mesmo intervenção cirúrgica. Por isso é importante entender o perfil do felino. Se ele é sociável ou não e se pode reagir mal à mudança de ambientes. O veterinário pode orientar condutas para evitar ou diminuir o risco de estresse”, pondera o veterinário do Seres, Ítalo de Oliveira.

Viagem sem turbulência

O animal não pode viajar solto no carro nem no colo. O cinto de segurança é obrigatório para a família humana e também para a família pet. Sem ele, no caso de freada, pessoas e bichos são arremessados e podem se machucar. Animais pequenos devem ser transportados presos por fivelas ou em caixas.
Vale lembrar que o Código de Trânsito Brasileiro considera infração média dirigir com o pet à direita ou no colo e infração grave transportar animais na caçamba de carros abertos. A legislação também considera infração e prevê multa ao motorista que se “distrair” na direção por causa do transporte de pets.

Cinto, cadeirinhas, assentos, fivelas ou caixas?

A escolha do equipamento de segurança mais apropriado deve levar em consideração o porte físico e o comportamento do pet. Os cachorros grandes ficam mais confortáveis com o cinto de segurança peitoral. As cadeirinhas, assentos e fivelas são indicados para cães de porte médio ou pequeno.
Como os gatos são mais ariscos e se assustam com maior facilidade, melhor o transporte dentro de caixas apropriadas, feitas com material resistente e bastante ventiladas.

Os pequenos pets, como ramsters, gerbils e porquinhos da índia também precisam de cuidados. Existem caixas específicas para transportá-los com segurança.

Viagem de pets em ônibus intermunicipais

As regras para embarque são diferentes entre os estados brasileiros, mas duas valem para todo o território nacional:

1-Para embarcar com animais em ônibus de viagem é preciso apresentar atestado de saúde do animal com comprovação da vacina antirrábica.
2- O animal deve ser transportado em caixas apropriadas.

Se o pet não tem hábito de passear dentro das caixas, prepare o terreno. Faça passeios antes para que ele se acostume com a caixa e não se estresse durante a viagem.
Em São Paulo, cada ônibus intermunicipal leva apenas dois bichinhos por viagem. Os animais devem ter até 8 quilos e ficar no banco ao lado do tutor, que paga pelo assento extra. Exceção feita aos cães-guia. O tutor deficiente visual pode embarcar com seu cão-guia independentemente do peso do animal e tarifa.
Como as regras dependem de legislações distintas, é importante fazer contato antes com as empresas de transporte para evitar contratempos.

E se seu pet é um pássaro ou um bichinho exótico, você precisa apresentar no embarque a autorização de trânsito do IBAMA, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Renováveis, e a Guia de Trânsito Animal, documento que atesta a regularidade sanitária do animal.

Viagem de pets em avião

A ideia é levar seu pet literalmente para as nuvens? Então reserve uns dias para se certificar das regras. Elas variam dependendo da companhia aérea e entre voos nacionais e internacionais.
Também para viajar de avião com o pet, os tutores precisam apresentar o Certificado Veterinário; o documento que atesta a saúde do bichinho. O atestado deve ser emitido por um veterinário e tem prazo de validade. Então atenção à data de embarque.
Empresas que fazem voos no território nacional costumam pedir o comprovante da vacina antirrábica.

O comprovante da vacina contra a raiva também é exigido no embarque de voos internacionais. Mas para sair do país com o pet, a lista de documentos que o tutor deve apresenta é maior.

É preciso ter o CZI, Certificado de Zoonose Internacional, um documento emitido no Brasil pelo Sistema de Vigilância Agropecuária Internacional do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O CZI pode ser solicitado nas sedes das Superintendências Federais de Agricultura ou em postos do Sistema localizados em aeroportos.
O Ministério da Agricultura emite também o Passaporte para Trânsito de Cães e Gatos, um documento que substitui a Carteira de Vacinação do pet e é aceito em vários países. Mas não em todos. Por isso é sempre importante pesquisar e conhecer as regras para entrada de animais no país que irá visitar. Em alguns países da Europa, por exemplo, a documentação exigida no Brasil não é suficiente para as autoridades sanitárias do velho continente.

Companhias Aéreas

As regras para embarque de animais entre as companhias aéreas também diferem. Têm as que limitam quantidade de pets por voo, as que estabelecem maior ou menor prazo de reserva, as que limitam tipos de raças que podem viajar, as que definem peso máximo do animal, as que especificam altura e largura das caixas de transporte. E tudo isso resulta em diferentes taxas de embarque. Então, programa-se!

Sobre a Petz

A rede de pet shop é a maior do Brasil em número de lojas, somando 90 no País – em São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul, e Distrito Federal.

Os espaços contam com profissionais especializados nos serviços de banho e tosa e medicina veterinária. No final de 2018, a rede intensificou sua atuação em saúde com o lançamento do Centro Veterinário Seres, que alia conhecimento científico a equipamentos de última geração.

O novo conceito de hospital veterinário com a marca Seres foi inspirado em redes internacionais e planejado a partir da ótica do tutor e do pet, oferecendo atendimento de alta complexidade em uma estrutura de ponta que conta com centro cirúrgico, UTIs, salas de ultrassonografia, ecocardiograma, eletrocardiograma e raio X digitalizado, alas separadas para internação de cães, gatos e infectocontagiosos, além de ala de reabilitação, farmácia de manipulação de quimioterápicos e sala para a quimioterapia.

Leia mais
Pet

Animais de estimação podem salvar vidas

imagem_release_1758207

Campanha Patinha Vermelha visa conscientizar a sociedade sobre a importância da doação de sangue animal

Junho é mundialmente conhecido como o mês da doação de sangue e nesse período, muitas campanhas são realizadas com o objetivo de conscientizar a sociedade sobre a importância da doação de sangue. Essa é uma atitude que pode salvar vidas. Porém, não são apenas os humanos que necessitam dessa boa ação. Nossos amigos de quatro patas também sofrem com a escassez de bolsas de sangue. No Brasil, já existem diversos bancos para coleta, mas o número de doadores ainda está muito abaixo do necessário para suprir a demanda.

Pensando nisso, a clínica veterinária Soft Dogs e Cats idealizou a Campanha Patinha Vermelha e contou com o apoio da clínica Strix, ambas de São Paulo – que tem como finalidade promover a saúde e o bem-estar animal através da doação de sangue. Em parceria com o Sanimvet – banco de sangue veterinário – serão realizadas duas ações para coleta de bolsas de sangue animal: no dia 30 de junho, na Soft Dogs e Cats e em 14 de julho, na Strix. Num primeiro momento, serão realizadas apenas coletas em cães.

Para participar do evento, os interessados devem se inscrever pelo site www.patinhavermelha.com.br. Na data selecionada, os tutores devem comparecer ao local acompanhados dos cães, que passarão por uma triagem.  Para ser doador é preciso preencher alguns requisitos: ter entre 1 e 7 anos; pesar pelo menos 25 kg; estar clinicamente saudável; realizar controle de pulgas e carrapatos; realizar vermifugação periodicamente; ter a vacinação em dia; ter temperamento dócil; não ter passado por procedimento cirúrgico recente (últimos 2 meses) e as fêmeas não podem estar gestantes. Importante ressaltar, que não há necessidade de sedação.

“Antes de iniciar o processo de doação, os cães são submetidos a um exame físico e é feita uma coleta de amostra de sangue. Nesse pré-exame são verificados o hematócrito e a proteína plasmática. Estando tudo dentro dos parâmetros, a coleta é feita. Os cães heróis recebem também exames laboratoriais completos num prazo de até 30 dias. Os pets doadores receberão suplementos e outros brindes que ajudarão em seu bem-estar após a doação”, explica Natália Gouvêa, médica veterinária da Soft Dogs e Cats e idealizadora da campanha.

A campanha Patinha Vermelha conta com a colaboração de vários parceiros, como: Agener União, Botupharma, MSD Saúde Animal, Hills ProPet, PF Animal, Premier, Elanco e ProCão.

Serviço:

Patinha Vermelha – Doação de Sangue

  • Data: 30 de junho – Domingo

Horário: 10 às 17 horas

Local: Soft Dogs e Cats – Avenida Divino Salvador, 802 – Moema – São Paulo (SP)

  • Data: 14 de julho – Domingo

Horário: 10 às 17 horas

Local: Strix – Avenida Professor Vicente Rao, 1275 – Jardim Nova Petrópolis – São Paulo (SP)

Sobre a Soft Dogs e Cats

A Clínica Soft Dogs e Cats está localizada no bairro de Moema há 23 anos e é administrada por José Francisco Costa Neto, veterinário e especialista em homeopatia e Natália Gouvêa, veterinária e especialista em fisioterapia e nutrição animal. A clínica conta com diversos serviços, como banho e tosa, pet shop, centro veterinário, day care, fisioterapia e reabilitação, hotel, natação, exames laboratoriais e de imagem. Entre as especialidades, a clínica possui dermatologia, oftalmologia, fisioterapia, nutrição e acupuntura e ainda oferece um amplo espaço para atividades, como recreação, aula de natação e hotel para cães e gatos.

 

 

 

Leia mais