Saúde

Tratamentos de saúde eficientes demandam mudança de comportamento 

  • Médico e Health Coach explica como o paciente pode ter comportamento voltado para o seu bem-estar

Algumas pessoas apresentam problemas de saúde que têm origem comportamental e isso tem relação com o seu estilo de vida. Não é incomum receberem orientações dos seus médicos, e simplesmente não conseguirem realizar as mudanças no estilo de vida e no mindset (padrão mental). Segundo o médico e Health Coach Dr. Guilherme Sellos, “é por isso que alguns problemas parecem não ter resultados efetivos, mesmo após consulta, prescrição e tratamento iniciado”.

Os problemas crônicos de saúde, como por exemplo as doenças cardíacas, diabetes, obesidade, descontrole emocional e dores crônicas estão em alta no mundo, e apresentam forte relação com o estilo de vida social moderno. “O sistema de saúde atual investe muito dinheiro, tempo, pesquisa e tecnologia tratando as doenças com o que têm de mais avançado, entretanto, carece algumas vezes de investir em medicina preventiva, educativa e social”, explica Dr.  Guilherme.

“Os health coaches conhecem as necessidades de seus clientes ouvindo-os atentamente, fazendo perguntas direcionadas para que os clientes possam obter mais clareza sobre os seus comportamentos, pensamentos e ações. Agimos como um observador imparcial, identificando paradigmas e crenças limitantes do cliente que podem estar dificultando sua tomada de decisão e sucesso nas tentativas de mudanças”, explica o médico.

Dr. Guilherme Sellos aponta quais são hoje as principais áreas de atuação de um health coach:

-Manejo de dores crônicas no corpo;

-Controle de peso;

-Melhorar energia e disposição;

-Melhorar a qualidade do sono;

-Adotar um estilo de vida mais saudável;

-Ter uma vida mais equilibrada e feliz;

-Obter mais clareza mental e concentração;

-Melhorar imunidade e a força física;

-Ser mais feliz com o próprio corpo;

-Melhorar a saúde digestiva e intestinal.

Para que o paciente tenha um resultado efetivo, Dr. Guilherme apresenta cinco boas práticas fundamentais do health coach:

1-Orientar conversas para permitir que os clientes explorem áreas que precisam de atenção.

2-Fazer recomendações para mudanças básicas comportamentais de apoio à saúde.

3- Incentivar os clientes a adaptarem mudanças comportamentais saudáveis e a se responsabilizarem por suas escolhas, apoiando-os nessas decisões.

4- Recomendação para que os clientes consultem seu médico ou profissional de saúde assistente antes de trocar um medicamento, fazer grandes mudanças na alimentação, iniciar uma nova rotina de exercícios físicos ou outras alterações comportamentais potencialmente prejudiciais”.

Dr. Guilherme alerta ainda o que não cabe a um health Coach fazer: ” o profissional não deve direcionar conversas para áreas com as quais os clientes se sentem desconfortáveis; não deve diagnosticar, tratar ou dizer que vai curar doenças; forçar clientes a adaptar mudanças comportamentais; aconselhar os clientes a parar de tomar medicação, parar de ver seu médico ou profissional de saúde assistente, fazer grandes e abruptas mudanças na alimentação, iniciar uma rotina vigorosa de exercícios físicos ou fazer alterações comportamentais potencialmente prejudiciais; nem assumir a capacidade de lidar com todos os problemas de saúde de um cliente”.

Por fim, Dr. Guilherme Sellos explica que “ao longo do tempo o paciente/coachee se empodera, sendo assim possível a modificação de padrões de comportamentos viciados causadores dos males crônicos, resultado do autoconhecimento e Educação comportamental”.

 

Fonte: Dr.  Guilherme Sellos

Médico, Ortopedista, Terapeuta de Ayurveda e Health Coach.

Membro titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT), número do TEOT 13228.

Membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Ombro e Cotovelo (SBCOC).

Terapeuta de Ayurveda certificado pela Associação Brasileira de Ayurveda (ABRA) e pela Arya Vaidya Pharmacy (AVP) na Índia.

Health Coach certificado pela Institute of Integrative Nutrition (IIN).

MBA em Gestão de Saúde pela FGV.

Bruna Munhoz

The author Bruna Munhoz

Leave a Response