Saúde

Entenda os mitos e verdades sobre a asma

Com milhões de pessoas no mundo atingidas pela doença, a asma não deve limitar a rotina dos pacientes

A asma é uma das doenças respiratórias com maior prevalência no Brasil, atingindo 10% da população e mais de 300 milhões de pessoas no mundo. É uma doença crônica e inflamatória, de causa alérgica, que leva à falta de ar, fadiga e à sensação de chiado no peito.

As pessoas que sofrem com asma sabem que é preciso estar sempre em alerta para os riscos de crises. Entretanto, quando tratada adequadamente, a asma pode ter seus sintomas controlados – o que confere melhor qualidade de vida e nenhum impacto na rotina do paciente.

De acordo com a GINA (Global Initiative for Asthma), é preciso procurar um especialista quando o paciente apresentar qualquer limitação de atividade por conta da doença, tiver despertares noturnos e/ou usar o medicamento de resgate mais de duas vezes por semana nas últimas quatro semanas.

Veja abaixo algumas das dúvidas mais frequentes da população:

1) Asma tem cura

Mito. A asma é uma doença crônica e, como tal, não tem cura, mas pode ter seus sintomas controlados. O Dr. José Roberto Megda Filho, Pneumologista da Residência de Clínica Médica do Hospital Universitário de Taubaté, explica que, “alguns pacientes, seja por conta do tratamento, por não entrarem em contato com elementos que desencadeiam os sintomas, ou até mesmo, por perceberem muito pouco os seus sintomas, podem passar meses ou anos sem apresentar crises de falta de ar e, por isso, acreditam ter sido curados“. No entanto, estas pessoas continuam a ter asma e, se não fizerem o tratamento adequado, podem sentir limitações no seu dia a dia e até voltar a ter crises.

2) Só devo acionar meu médico em caso de crise

Mito. Por ser uma doença crônica, o tratamento da asma deve ser feito de forma contínua. “Interromper as crises, que são apenas uma manifestação pontual da doença, não é suficiente. O paciente que sabe que tem asma deve agendar consultas regulares com um pneumologista para a definição do melhor tratamento de longa duração e seguir com um acompanhamento periódico. Com o tratamento contínuo da asma, o paciente vive mais e com melhor qualidade de vida”, afirma o Dr. Megda.

3) Pessoas com asma não podem praticar exercícios físicos

Mito. “Os exercícios podem ser fortes aliados do tratamento, mas é muito importante que os pacientes sigam orientações médicas para a realização de atividades físicas de maior intensidade. Se quiserem, não só podem praticar exercícios como podem vir a se tornar atletas, se quiserem”, completa Dr. José Megda.

4) Asma e bronquite são doenças diferentes

Verdade. Enquanto a asma é uma doença crônica, de causa genética e alérgica, geralmente diagnosticada ainda na infância, a bronquite pode se manifestar de duas formas: aguda (geralmente provocada por um vírus e acompanhada de um quadro gripal, com duração de, em média, duas semanas) ou crônica (uma inflamação sem cura provocada, na maior parte dos casos, pelo fumo). De acordo com o Dr. Megda, “um dos nomes para a asma é ‘asma brônquica’, o que leva algumas pessoas a confundirem a doença com a bronquite, que, ao entender dos pacientes, é uma doença mais inofensiva. Por isso, as diferenças entre as duas devem ser levadas em conta para garantir o melhor tratamento para o paciente”.

5) A asma pode ser perigosa

Verdade. Quando o paciente não recebe o tratamento adequado para a doença, as crises de falta de ar podem impor sérias limitações a sua rotina e, em casos extremos, levar até a casos de morte. De acordo com dados do DATASUS (Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde do Brasil), três pessoas com idade entre 5 e 64 anos morrem a cada dia por asma no Brasilv.

A Boehringer Ingelheim A Boehringer Ingelheim é uma das 20 principais farmacêuticas do mundo e possui cerca de 50.000 funcionários globalmente. Atua há mais de 130 anos para trazer soluções inovadoras em suas três áreas de negócios: saúde humana, saúde animal e fabricação de biofármacos. Em 2018, obteve vendas líquidas de cerca de € 17,5 bilhões e os investimentos em pesquisa e desenvolvimento corresponderam a 18,1% do faturamento líquido (€ 3,2 bilhões). No Brasil há mais de 60 anos, a Boehringer Ingelheim possui escritórios em São Paulo e Campinas, e fábricas em Itapecerica da Serra e Paulínia. A empresa recebeu, em 2019, pelo terceiro ano consecutivo, a certificação Top Employers, que a elege como uma das melhores empregadoras do mundo por seu diferencial nas iniciativas de recursos humanos. Para mais informações, visite www.boehringer-ingelheim.com.br e www.facebook.com/BoehringerIngelheimBrasil
Tags : asmaMitossaúdeverdades
Bruna Munhoz

The author Bruna Munhoz

Leave a Response