Eventos

Festival no Grajaú celebra empreendedorismo social com shows, oficinas, feiras e gastronomia

4ª edição do Festival Red Bull Amaphiko ocorre em 4 de agosto reunindo música, workshops, performances, feiras e exposição no Centro Cultural Grajaú (CCG)

Pela segunda vez no bairro do Grajaú, extremo sul da cidade de São Paulo, o Festival Red Bull Amaphiko realiza nova edição no domingo, dia 4 de agosto, das 14h às 22h, no Centro Cultural do bairro, com programação gratuita de shows, feiras, performances e exposição, a fim de celebrar a inovação, o empreendedorismo e o impacto social.

A edição de 2018 também aconteceu no CCG. Foto: Felipe Gabriel/Red Bull Content Pool

Na programação, destaque para o show PretaLeveza, com Bia Ferreira e Doralyce, que sobem ao palco para falar do amor afrocentrado. A fala de abertura fica com Maria Vilani, escritora, ativista local e mãe do rapper Criolo e as feiras de empreendedorismo e gastronomia buscam incentivar a economia local durante todo o evento. A programação completa segue abaixo.

Todo o festival, que chega à quarta edição, está sendo co-criado em parceria com os coletivos locais Nóis por Nóis, Abebé, Ecoativa, Imargem e os produtores Leandro Sequelle e Luísa Estanislau. A proposta curatorial foi construída em torno da ideia do Futuro Ancestral, conceito que reflete novas formas de pensar contemporaneamente as culturas periféricas.

O Festival Red Bull Amaphiko é o encerramento e a celebração de uma semana intensa. Durante a última semana de julho, o CCG recebe uma imersão organizada para os 14 empreendedores sociais que acabaram de ser selecionados para participar da Red Bull Amaphiko Academy. É um programa de 18 meses de mentoria e desenvolvimento de pessoas e projetos que geram impacto social.

Destaques do Festival Red Bull Amaphiko

Exposição Retratos do Grajaú (14h às 22h)

Uma exposição de retratos, em fotografia e pintura dos moradores do Grajaú para falar sobre as identidades do território, destacando a pluralidade de rostos e a diversidade das vozes que compõem o distrito mais populoso da capital paulistana. Exposição coletiva com Quebramundo + Cauã Bertoldo + Mangraff + Jéssica Aquino + Nart.

Feira de Empreendedores, por Casa Ecoativa + Nóis por Nóis + Agência Solano Trindade (14h às 22h)

Evento que reúne empreendedores das diversas periferias de São Paulo, com produtos de moda, arte, decoração, beleza e bem-estar. A feira promove a autogestão econômica, para fortalecer a economia solidária e a gestão democrática nas periferias.

Feira de Alimentação Saudável, por Casa Ecoativa + Nóis por Nóis + Agência Solano Trindade (14h às 22h)

Diferentes sabores, aromas e temperos em empreendimentos gastronômicos de quituteiras, restaurantes e projetos relacionados à cultura alimentar.

Programação completa

Toda a programação é gratuita e acontece na parte externa do CCG.

Mestres de Cerimônia

Lucimeire Juventino: Lucimeire Juventino nasceu e cresceu no Grajaú e adentrou o universo do hip-hop nos anos 90. Atualmente, participa da coletânea musical Da Lama Nasce a Flor de Lótus – Coletivo GrajaMinas. É professora da rede pública e voluntária do CAPS Artes, onde mediou a Roda de Estudos Afro-Brasileiros.

MMoneis: Mano Money’s é MC residente do Grajaú, atuando no rap desde 2007, produzindo musicalmente um discurso que contribui diretamente para a reflexão. Atualmente em carreira solo, empenha-se na propagação do seu mais novo trabalho intitulado “Tempo Novo” lançado em agosto de 2018.

13h30 às 16h – DJ Licciss

Multiartista moradora do Grajaú, atualmente é DJ residente do Slam do Grajaú, já tocou em festas e festivais como a Periferiatrans e o Festival Quebramundo.

14h às 14h40 – Cortejo de abertura – Umojá (Calçadão)

Para abrir os caminhos, 15 artistas sairão em cortejo com seus instrumentos, cantos e danças. O Umoja , traz em sua missão o compromisso com a difusão e valorização de manifestações culturais, parte do patrimônio cultural popular e afro-brasileiro presentes nas danças dramáticas populares e na musicalidade negra do samba de coco, dos maracatus de baque virado, do samba de roda, da ciranda e dos afoxés.

14h40 às 15h – Fala de abertura, com Maria Vilani (Palco)

Maria Vilani é poetisa, filósofa e professora. Idealizou o CAPS – Centro de Arte e Promoção Social (1991), MOCAP – Movimento pela Cidadania Artística da Periferia (2008), Fórum de Cultura do Grajaú (2013) e o Selo Editorial Capsianos (2016), todos os projetos foram fundados no Grajaú, São Paulo, onde mora há mais de 40 anos.

Exposição Retratos do Grajaú (14h às 22h)

Uma exposição de retratos, em fotografia e pintura dos moradores do Grajaú para falar sobre as identidades do território, destacando a pluralidade de rostos e a diversidade das vozes que compõem o distrito mais populoso da capital paulistana. Exposição coletiva com Quebramundo + Cauã Bertoldo + Mangraff + Jéssica Aquino + Nart.

14h30 às 15h50 – Raízes Afroindígenas apresenta: Curumierê – Ossaim! (Arena)

Oficina de conto colaborativo, dinâmica de pintura e dança criativa. Convidamos todos a conhecerem Ossaim, representante mitológico africano que vem do yorubá e representa o reino da natureza, das matérias-primas, inimiga da poluição e cultivadora das plantas e ervas da medicina e farmacologia tradicional da mãe África. 20 vagas (por ordem de chegada) | Idade mínima: 6 anos.

14h40 às 17h40 – Vamos falar sobre plantas? Com Romária Sampaio (Calçadão)

Uma ação sobre conhecimentos de cura e sabedorias ancestrais. Consiste em trocas espontâneas sobre saberes e receitas populares por meio de ervas e plantas medicinais. Romária Sampaio, moradora do Grajaú e assistente social, idealizadora do coletivo Receitas da Vó, apaixonada por plantas medicinais e uma guardiã aprendiz da medicina popular. Dedica-se a vivências com indígenas, quilombolas, benzedeiras e raízeros.

15h às 17h – Xadrez sem Muros (Calçadão)

Atividade organizada pelo Grupo Xemalami, que tem como princípios de atuação o xadrez e o hip-hop. A oficina consiste na vivência com o xadrez gigante e bate-papo sobre a prática do esporte sobre os benefícios por meio de suas táticas e estratégias.

15h às 15h55 – Show Nayra Lays (Palco)

Compositora, cantora, MC e comunicadora. Na música, passou por uma residência na Red Bull Station ao lado de outros artistas independentes. Aos 22 anos de idade, vê nas palavras um refúgio e uma forma de (r)existir.

16h às 19h – DJ Hudson + DJ Fill

DJ Hudson participou de diversos coletivos, festivais, eventos e projetos na região do Grajaú. Teve fácil acesso à tal arte por conta de seu pai, que já atuava na área antes mesmo do seu nascimento. Hoje, com 20 anos, participa de diversas atividades e é DJ residente na casa de show Havanna’s Lounge Club. Seu pai, DJ Fill, é morador do Grajaú e participou de grupos como a Facção Central, em 2001.

16h – Perifalas (Arena)

Um espaço de diálogo, onde pessoas inspiradoras, personagens referência para suas comunidades contam sua história. Perifalas tem como objetivo aproximar pessoas e inspirar novos transformadores.

16h – Abebé + Nois por Nois

16h20 – Carlos Machado

16h40 – Alas Zas

17h – Dona Vera

17h40 – Intervenção “O Baile Segue? repertório musical” com Núcleo Pele (Calçadão)

Intervenções Corporais a partir das cenas e músicas do espetáculo “O Pancadão: O Baile Segue?”. Para inverter a lógica de público e atriz/ator, o escadão do Centro Cultural Grajaú será o palco e o calçadão o local onde o público assistirá. O Núcleo Pele é um coletivo de teatro atuante no Grajaú, que se formou a partir do Programa Vocacional no CEU Navegantes, localizado no Cantinho do Céu, em 2013.

18h20 às 19h15 – Show Gê de Lima (Palco)

O ator, cantor e compositor passeia por diversos gêneros musicais e atualmente circula com o show com momentos de batuques ancestrais a swings afrofuturistas. O espetáculo traz na sua essência elementos da ancestralidade e da história enquanto povo preto, na busca de ressignificar a imagem do corpo negro nas artes e na música.

19h15 às 19h20 – Pílula: Travas da Sul (Palco)

Pílulas são uma versão reduzida (5′) das Perifalas.

Coletivo de pessoas LGBTQIA+ moradoras do extremo sul de São Paulo, que articulam ações voltadas à cultura, saúde, lazer, entretenimento, educação e economia colaborativa para a população LGBTQIA+ e aliadas de Grajaú, Parelheiros e região.

19h20 às 20h – Show com Katu Mirim (Palco)

Indígena que reside na periferia do interior paulista, ascendente do povo Bororó, rapper, performer e ativista, fundadora da etnomídia Visibilidade Indígena.

20h30 às 22h – DJ Thays + DJ Dal

Mulher preta e periférica da Favela da Minhoca, trabalha com causas sociais como economia e empoderamento feminino. É DJ, community manager do Coletivo Abebé e produtora cultural. No festival, discoteca ao lado de seu pai, DJ Dal, residente do Grajaú, amante da Black Music e que procurou na música uma forma de refúgio para não ser levado pelo caos da periferia.

20h30 às 20h35 – Pílula: Elizandra Souza (Palco)

Pílulas são uma versão reduzida (5′) das Perifalas.

Poeta, jornalista, integrante do Sarau das Pretas, autora do livro de poesias Águas da Cabaça, 2012 e Co-autora do livro de poesias Punga com Akins Kintê (Edições Toró, 2007). Trabalhou como editora e jornalista responsável na Agenda Cultural da Periferia na Ação Educativa por 10 anos e atualmente é educadora de Comunicação na Associação Bloco do Beco.

20h35 às 22h – Show PretaLeveza, por Bia Ferreira & Doralyce (Palco)

PretaLeveza é um encontro do amor afrocentrado em um show intimista, inédito e autoral . Há mais de um ano juntas, Bia Ferreira e Doralyce, as compositoras de “Cota não é esmola” e “Miss beleza universal” vêm com o show com as composições que escreveram em parceria, e uma pra outra.

Feira de Empreendedores, por Casa Ecoativa + Nóis por Nóis + Agência Solano Trindade

Evento que reúne empreendedores das diversas periferias de São Paulo, com produtos de moda, arte, decoração, beleza e bem-estar. A feira promove a autogestão econômica, para fortalecer a economia solidária e a gestão democrática nas periferias.

Feira de Alimentação Saudável, por Casa Ecoativa + Nóis por Nóis + Agência Solano Trindade

Diferentes sabores, aromas e temperos em empreendimentos gastronômicos de quituteiras de mão cheia, restaurantes e projetos relacionados à cultura alimentar.

A gestão de resíduos será feita pela COOPERPAC (Cooperativa de Catadores Seletivos Parque Cocaia).

SERVIÇO:

4º Festival Red Bull Amaphiko
Dia 04 de agosto, domingo, das 14h às 22h
Centro Cultural Grajaú – Rua Prof. Oscar Barreto Filho, 252 – (a 650 metros da estação Grajaú da CPTM)
Entrada Gratuita
www.redbull.com.br/festivalamaphiko

Sobre a Red Bull Amaphiko

Red Bull Amaphiko é um programa que, desde 2014, dá asas a pessoas e ideias transformadoras. Presente no Brasil, na África do Sul e nos Estados Unidos, apoia e oferece mentoria, formações e conexões a projetos de empreendedores sociais que estão mudando a realidade de suas cidades e comunidades. Conheça mais em: amaphiko.redbull.com. Para a Red Bull, inovação social é o resultado de um processo que apresenta novas estratégias, serviços, produtos e/ou modelos de negócios que buscam solucionar desafios da sociedade contemporânea. Essas soluções, além de provocarem novas formas de enxergar o mundo, têm por essência promover uma sociedade mais justa, igual, humana, sustentável e diversa.

Tags : 4ª ediçãoempreendedorismo socialfeirasfestivalFestival Red Bull AmaphikogastronomiaGrajaúoficinasshows
Bruna Munhoz

The author Bruna Munhoz

Leave a Response